23 de fevereiro de 2024

whatsapp (13) 981307885

Acre é destaque na luta contra o desmatamento da Amazônia

Há males, no entanto, que vêm para o bem. Coordenadora do escritório do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) em Rio Branco há mais de 15 anos, Elsa Mendoza, nascida no Peru, acredita que o fogo que “resistiu a helicópteros e aviões” e que “só a chuva, mesmo, conseguiu apagar”, mexeu com a população e a incentivou a prestar mais atenção à valorização da floresta.

Há poucas semanas, brasileiros e comunidade internacional depararam-se com números alarmantes de aumento do desmatamento na Amazônia brasileira. Mesmo que, proporcionalmente, a área total desmatada seja a segunda menor desde que os números começaram a ser divulgados, em 1988, do ano passado para cá, o desmatamento cresceu 28%. Entretanto, Acre, Amapá e Tocantins foram os três estados que registraram queda nas taxas, de respectivamente 34,75%, 59,25% e 16,66%.

Brilho internacional

O estado do Acre tem 734 mil habitantes e 164.123 km², o que equivale a 4% da Amazônia brasileira e a 1,9% do território nacional. Originalmente, 98,4% do território eram cobertos por florestas amazônicas e, hoje, ainda resta uma cobertura de 87%. Por isso, o Acre é usado mundo afora como caso de sucesso no combate ao desmatamento. Segundo estudo divulgado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) em 2010, intitulado “Fatos Florestais da Amazônia”, dos 9 estados da Amazônia Legal brasileira, o Acre está em 2o lugar no ranking de cobertura florestal. Só perde para o Amazonas, que mantém 88,2%.

Em dezembro do ano passado, o banco alemão KFW anunciou um prêmio de R$ 43 milhões para o estado natal de Chico Mendes investir em projetos relacionados à preservação da floresta. O KFW não é a primeira instituição financeira a destinar recursos a programas ambientais acreanos. Desde 2010, BID, BIRD e Banco Mundial já aprovaram financiamentos. Em dezembro de 2012, por exemplo, o governo estadual divulgou que tomaria emprestado US$ 72 milhões do BID para o Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *